L. Gelada-3 Da Madrugada

MV Bill

(Um) você pega no dinheiro
Geralmente vai você e mais um parceiro
Em qualquer lugar se vende
Nas comunidades tem vários pontos de vendas, você entende

(Dois) fim de semana tem que aguardar
Grande movimentação de gente querendo comprar
Pra distrair e liberar os pensamentos
Viajar nas idéias e fluir os sentimentos
Chegou a sua vez de comprar
Muita ansiedade pra pagar, pegar e viajar
Sem pensar no depois
O veneno 'ta na mão, você abre e divide pra dois

(Três) sua fala amolece
De algo se esquece, se livra do estresse
Satisfação momentânea terá
Quando a onda passar o problema vai voltar
Mas só que pra você o presente é importante
Sentado com os amigos sem caô ao menos um instante
Levando o prazer até a boca
Alterando sua visão, sua cabeça fica louca

(Quatro) se sentindo na paz
Acabou compra mais, uma não satisfaz
Curti o momento, sem pensar no tempo
Faz um movimento, o raciocínio 'ta lento

(Cinco) 'ta com fome come um salgado
Já foram mais de quatro
'Ta meio chapado, meio zoado, meio sorridente
Meio culpado, meio inocente
Será que mais uma dose vai lhe fazer mal
Se todo mundo usa de uma forma muito natural
Você vai e bota mais uma na roda
Todo mundo gosta, que atitude foda

(Seis) da parada é freguês
Ignora as leis qualquer dia do mês
Em qualquer lugar na frente do bar
Em casa, na rua, na beira do mar

(Sete) na hora de comemorar
Pode 'ta faltando tudo, ela não pode faltar
Esta presente no melhor e no pior
Quando ta rodeado e quando esta só
Apreciada por homem, mulher
Idoso, criança, malandro, mané
Polícia, playboy, bandido, estudante
Empresário, artista, mulher gestante

(Oito) distraído vendo o vai e vem
Gosta muito não consegue ficar sem
O corpo pede a mente obedece
Pede mais uma da hora se esquece

(Nove) sem pressa nenhuma
Se o dinheiro acabar, rateio pra mais uma
Aproveita bem cada minuto que tem
Vai gastando a sua onda em cima de alguém

(Dez) sua visão 'ta embaçada
Não quer pegar mais nada hora de voltar pra casa
Perna bamba cabeça 'ta rodando
Pupila dilatada, a noite vem se aproximando
Fim de tarde fim do dia
Tudo direitinho do jeito que você queria
Vai batendo como se fosse a primeira
Pede o seu Manoel pra colocar a saideira

Bebe o dia inteiro e dorme
Só sai na madruga

Bebe o dia inteiro e dorme
Só sai na madruga

Bebe o dia inteiro e dorme
Só sai na madruga

Bebe o dia inteiro e dorme
Só sai na madruga

Três da madruga, insônia não ajuda
Saio sobre os olhos da vizinha pescoçuda
'To na rua, sozinho no volante, o meu semblante
'Tá sinistro bem pior do que antes
Solto a embreagem vou que vou 'tô na estrada
Peço proteção pra me livrar de quem me roga praga
Deus que sabe o quanto vale a minha alma
Eu jogo a seta, meto a quarta, aumento o som e mantenho a calma
No role de migué sem destino
O vento vem na cara enquanto a cabeça vai refletindo
Vou seguindo, ouvindo meu hino
De guerra com olho grande tipo flamenguista e vascaíno
'To na paz, com a mente sem maldade
Vou subi á colina que tem baile rolando até mais tarde
Corto a cidade a procura de uma cura
Que anule do meu coco a minha noite que não esta escura
Sinal fechado, um carro para ao lado
Um Golf rebaixado com para-brisas estourados
Uns quatros caras ou mais, sem ter cara de paz
Olhos vermelhos me olhavam e olhavam pra trás
Me liguei, mas não me intimidei
E o piloto fez sinal de 'ta tranquilo, então me adiantei
Ficou pra trás, (foi) virou passado
Eu acelero, passo a quinta que por deus estou sendo guiado
Rua escura com pouca iluminação
Vejo um comboio vindo em minha direção
Se lombra vou perder, correr pra onde
Foi se aproximando eu descobrir que é um bonde
Com bicos para o alto, tomando o asfalto
Será que é cobrança, sequestro, assalto?
Sei la não me interessa, eu também tenho pressa
Dei um toque no farol, acelero e continuo a fuga
Seja protegida iluminada, madruga
O telefone toca, sera que e alguém que aluga
Só vou saber se atender
Seja quem for, só não tire o meu lazer

(Alô?) sou eu que 'to ligando, só pra te dar um papo
Que o baile você 'ta indo hoje esta lombrado
O morro esta tomado, melhor você voltar
Que 'ta rolando uma festinha na pracinha do lado de cá
'Tá você e quem?
'To eu e aquela mina
Que eu tinha te tocado que ia botar na sua fita
Pode vir no sapato não precisa correr
Que o caô aqui na praça vai rolar até o amanhecer
Vou te aguarda, 'to bebendo uma gelada
Só vou voltar pra casa, depois da madrugada
Já é, vou desligar que tem uma blitz na minha frente
Vou tirar o meu boné e fazer cara de inocente

Acendo a luz do salão é dura da PM
Não devo nada, mas não sei porque minha perna treme
Abaixo o farol, viaturas eu cruzo
Documento 'ta no bolso, abaixo o som, reduzo
Fico escaldado sim, tenho a sensação do fim
Só que desta vez foi diferente nem olharam pra mim
Me benzi, sorrir, passei batido
Eu boto fogo no asfalto meu rolé ainda não esta perdido
Troco o CD, dou um grau no volume
Jogo o cotovelo para fora como de costume
No viaduto, caminho vou cortando
O céu 'ta clareando, o dia vem raiando
O galo 'ta cantando, da pracinha vou me aproximando
Pessoas vão saindo enquanto eu vou chegando
Os raios do sol atrapalham minha visão
Mas vejo que a praça esta só tem garrafas no chão
Cheguei agora todo mundo indo embora
Viajei no caminho que até me esqueci da hora
Vou meter o pé abandonar o recinto
Também que horas são hein?
(Sete e quarenta e cinco)



Preview :

To download music, please download extension below :
(choose your browser)

Chrome Firefox

You will get much benefit like full speed download

Donate Fix Chrome (PC)